Milico Ponderão

Image Map

ASSOMBRAÇÃO ASSUSTA MILITARES EM BATALHÃO NO ESTADO DO PARANÁ

Um mistério está perturbando uma unidade militar do exército em Curitiba. Soldados dizem ver uma assombração chamada de “Fachista Sem Cabeça”.



Fachista, segundo os militares dessa OM, é como são chamados os militares atletas que correm na tradicional Corrida do Facho de Curitiba.Ele sempre passa por volta das 02:45 da manhã correndo e pergunta com gestos batendo a mão no relógio para o guarda do paiol o tempo dele, é sinistro” disse um soldado que já foi preso duas vezes por se recusar a tirar serviço de guarda ao paiol. Falamos com o pessoal da seção de inteligência do quartel e nos informaram que o caso está sendo tratado com sigilo e não podem nos dar maiores informações.

E no seu batalhão, há alguma lenda ou visagem que perturba os militares? Conta pra nós nos comentários.

Obs: essa matéria é isenta de verdades.

www.AutoPecas-Online.Pt

Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. No 27Blog tem a Tiazinha do doce. Segundo reza a lenda, ela entrava no quartel vender doces aos guerreiros de serviço no paiol.Guarda que em Curitiba, na época era compartilhada por 3 batalhões (27Blog, 20bib e parque de manutenção 5).
    Um dia um infante miserável e desavisado meteu bala na tia achando que era invasão. Até hoje ela assombra aquele posto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro serviço que tirei os antigos me mandaram levar 0,25 centavos pra comprar um doce da tia kkkk, tinha um Bisonho do 27 que todo plantão lá tocava o PDA kkkk, hoje só lembrança.

      Excluir
  2. No 41 bimtz, tem as famosas guaritas onde ocorrerão suicídios, a cacha da água onde ocorreu outro suicídio, tipo o p5 e aquele posto que nego paga 5o reais pra outro tirar pra ele.

    ResponderExcluir
  3. pô, no paiol do IAE tem a menininha da gandola, ela vai toda noite de frio pedir a gandola do soldado, muito tenebroso

    ResponderExcluir
  4. Aqui na aman tem um campo de instruçao que antigamente era uma fazenda se escravos. Muitos disem que ate hoje pode se ouvir barulho de correntes se arrastando pelo alojamento.
    Kkkk
    Todo fantasma gosta de paiol ja reparam?kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No 16° GAC AC tem a história da velha da rapadura, vendia rapadura pro sentinela, até que um dia depois de vender ela foi atropelada e morreu, mas os sentinelas dos outros dias ainda relatavam a visita da vendedora.
      Tem a história do homem que ficava fumando em cima do blindado, isso de madrugada, o sentinela do bosque via de longe a cilueta e a ponta do cigarro

      Excluir
  5. 3°GAAAe Caxias do Sul, em uma instrução no dia 21 de julho de 1975 o piloto de um avião foi dar um rasante sobre o canhão AA C60 40mm e colidiu sua aeronave, destroços do motor atingiram um aspirante que estava no canhão 40mm, este morreu a caminho da enfermaria.
    O piloto também morreu na queda.
    Até hoje existe a história do "Aspirante sem Cabeça" que faz a ronda pelos postos de guarda. E o EV tem que apresentar SV pro cachorro 53 que segundo os antigos, acompanha o fantasma nas rondas...
    Tanto o Piloto e o Aspira são homenageados com uma rua e um bosque em seu nome dentro do grupo Conde de Caxias.
    Aspira -Admir Vieira de Lemos-
    Piloto -Capitão Aurélio Spalding-
    Fonte - http://issuu.com/ocaxiense_revista/docs/edicao123/20 -

    ResponderExcluir
  6. Aqui na 3°bda inf mtz tem a vários casos como a "velha da açúcar" e o "Predador" kkkkkkkkkkk aparições perto do antigo paiol da brigada kkkkkk e cada uma e engraçado que e o EV que conta esses mitos .

    ResponderExcluir
  7. No BGP em Brasília tinha a história da velha da cocada. Uma senhora passava junto ao P6 (nos fundos do batalhão, próximo ao recanto dos granadeiros) empurrando sua bicicleta com uma cesta e gritando "olha a cocada", isso às 03:00 da manhã.

    ResponderExcluir
  8. Toda história tem dois elementos (paiou e um velha), no 52 BIS tem a velha do bolo que vem do estande de tiro.

    ResponderExcluir
  9. Aqui no 21ºD SUP em São Paulo, dizem que uma boneca anda pelos trilhos do trem de madrugada.

    ResponderExcluir
  10. Ouvi dizer que no COMEMCH, na ponte Rio-Niterói tinha sentinelas que viam o fantasma da cantora Maysa, durante alguns anos após sua morte ali perto em um desastre de automobilismo, mas parece que hoje em dia poucos conhecerem o fato.

    ResponderExcluir
  11. Tirei mais de 100 serviços em 2006 e nunca vi nada, essas visões e coisa de muleque encagaçado.

    ResponderExcluir

Só comente se for para falar bem , caso contrário, suma daqui...hehe